Ceylin del Carmen Alvarado atingiu a maioridade

Ceylin del Carmen Alvarado atingiu a maioridade

Ceylin del Carmen Alvarado atingiu a maioridade

Os especialistas em ciclocross estão se preparando para testar sua velocidade, força, coragem e determinação na edição 2020-2021 da Copa do Mundo de Ciclocross da UCI. O próximo promete ser cheio de ação com cinco eventos em alguns dos locais mais espetaculares, começando em Tábor neste domingo.

 

Entre as estrelas que se alinham na República Tcheca, a campeã mundial Feminina Elite 2020 UCI Ceylin del Carmen Alvarado está definitivamente lá com a intenção de impor seu talento aos mais velhos. A holandesa tem apenas 22 anos, mas é a nova líder de sua disciplina, ostentando com orgulho a camisa arco-íris que conquistou em fevereiro passado em Dübendorf (Suíça), encerrando de forma brilhante uma temporada impressionante em todas as frentes.

 

 

As classificações de final de temporada refletem seu domínio absoluto na categoria Sub 23 e sua ascensão imparável na classificação de Elite. Ela venceu a classificação geral da Copa do Mundo UCI Feminina Sub 23, invicta na categoria nas sete corridas que participou.

 

Ela também foi o segundo entre os pilotos de elite, com Annemarie Pior de afluência para a vitória geral na última corrida da Copa do Mundo UCI, em Hoogerheide: Pior acabada 2 nd na rodada holandesa enquanto Alvarado teve de se contentar com 6 ª depois de um acidente em as últimas centenas de metros.

 

“Espero fazer ainda melhor do que no ano passado”

Ceylin del Carmen Alvarado imediatamente se recuperou da glória, conquistando o ouro em Dübendorf à frente de Worst. Uma conquista soberba, após conquistar as medalhas de bronze (2019) e prata (2018) no Campeonato Mundial de Ciclocross UCI Sub 23. Isso apenas confirmou o apetite de Alvarado pelo sucesso.

 

“Espero fazer ainda melhor do que no ano passado, ganhar mais corridas e estar mais firme. E, acima de tudo, espero manter a minha camisa de Campeã do Mundo por mais um ano ”, disse a Direct Vélo enquanto mostrava seus talentos em um tipo de evento totalmente diferente. Ela estava participando da corrida de etapa de estrada, Tour Cycliste Féminin International de l'Ardèche, onde terminou em 2º lugar na classificação de melhores jovens cavaleiros, atrás da italiana Camilla Alessio, enquanto a americana Lauren Stephens venceu a corrida.

 

O início do outono também viu a holandesa brilhar na mountain bike. Ela conquistou a vitória no evento tcheco da Copa do Mundo UCI em Nové Město na Moravě e a medalha de bronze no Campeonato Mundial UCI disputado em Leogang (Áustria): ambas as vezes na categoria Sub-23. É uma versatilidade que lembra as muitas realizações de seu compatriota Mathieu Van der Poel - mas Ceylin del Carmen Alvarado deixou claro que quer trilhar seu próprio caminho para o sucesso.

 

O sucesso inicial exige mais triunfos

Suas muitas conquistas nas categorias Sub 23 e Elite contrastam com seus anos difíceis como Júnior. "Tive minha cota de azar com problemas nos joelhos, febre glandular e pneumonia. Isso já era ruim", disse ela ao CyclingTips em um artigo antes do retorno da Copa do Mundo da UCI. “Quero equilibrar ciclocross, mountain bike e estrada até as Olimpíadas de Paris [2024]”, explica ela.

 

O retorno dos eventos de ciclo-cross já a viu reivindicar mais sucesso com notável confiabilidade. Ela lidera o ranking da série Superprestígio após quatro rodadas (duas vitórias e duas posições no pódio). Ela ganhou a Cruz Ethias em Leuven. E ela triunfou na corrida de Elite Feminina do Campeonato Europeu em solo holandês, em 's-Hertogenbosch, no início de novembro.

 

Como destacou nas suas redes sociais, foi o terceiro ano consecutivo que conquistou o ouro no Euro, mas foi a primeira vez que o fez na categoria Elite, depois de dois títulos como Sub 23. Ela é a primeira piloto a vencer em ambas as categorias desde que a corrida de Sub-23 foi introduzida em 2013.

 

 

Ceylin del Carmen Alvarado segue agora para a República Tcheca e para a primeira rodada da Copa do Mundo de Ciclocross da UCI em Tábor, onde tem a oportunidade de começar da melhor maneira possível. Ela está em busca de uma segunda vitória neste nível depois de ter conquistado o sucesso em Koksijde (Bélgica) na temporada passada. Já era novembro e a estrela em ascensão holandesa subiu ao pódio em Tábor antes de triunfar na Flandres.

 

Ela nunca havia aparecido no pódio de Elite de um evento da Copa do Mundo UCI antes da temporada passada, mas foi o que ela fez, seis vezes em sete corridas, Hoogerheide sendo a única exceção devido à sua queda tardia. Em cinco desses seis pódios, ela teve que se contentar com o segundo lugar, atrás das suas compatriotas Annemarie Worst (vencedora em Bern, Tábor e Nommay) e Lucinda Brand (Namur e Heusden-Zolder). Mas agora Alvarado só tem olhos para a vitória.